Há uma luz no fim do túnel: Cair em um buraco negro não é o fim!

Pra quem é fã do filme Interestelar e já pensou na hipótese de cair em um buraco negro, uma boa notícia: O filme estava certo! Ao cair em um buraco negro, não será o fim! Quem chegou a essa conclusão, foi nada mais nada menos que Stephen Hawking.

buraco-negro-interestelar-gifApesar dos físicos afirmarem que qualquer matéria que atravessa o horizonte de eventos de um buraco negro deve ser destruída devido ao tamanho da força gravitacional atuante lá, Hawking afirmou que existe uma chance de escapar e até mesmo viajar para outra dimensão. Com essa teoria de Hawking seria possível solucionar o “paradoxo da informação”. Essa teoria já “bugou” o pensamento de vários cientistas e físicos, devido a mecância quântica afirmar que nada pode ser destruído, enquanto a relatividade geral alega que deve ser.

É, façam suas apostas! Estaria Lavosier certo ao dizer que “Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma” ou Albert Einstein com a teoria da relatividade geral? Hã! Hã! Hã!

einstein

Hawking ainda afirma que o que é sugado em um buraco negro fica efetivamente detido no horizonte de eventos, mas reemergido para nosso universo, ou em paralelo, pela radiação Hawking (prótons que escapam do buraco negro devido flutuações quânticas).

“A informação sobre as partículas é devolvida, mas de uma forma caótica e inútil”, afirma Hawking. “Este é o paradoxo informações. Para todos os efeitos práticos, a informação é perdida.”

Fonte: Mistérios do Universo